quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Novidade

Di Farias possui um novo canal para divulgar seus trabalhos. Curta, compartilhe e acompanhe as postagens de Di Farias no Facebook. 

Link da Fan Page

Impresso Metropolitano


Confira a entrevista de Di Farias para o Impresso Metropolitano nº 1.


Link da entrevista

sábado, 31 de março de 2012

sábado, 24 de março de 2012

Di Farias, o Mago da Pintura



"Di Farias é um artista pernambucano daqueles “danado de bom”. Talento nato e aperfeiçoado por anos de prática e estudo. Não entendo muito de arte, mas sei o que é bonito, bem composto e agradável de se ver. A arte de Di Farias é uma alegria para os olhos, pelas cores vibrantes e harmônicas, e para a alma, pelos temas escolhidos para transformar em arte.


Na atual fase do artista a gente pode ver imagens do cotidiano nordestino, como garotos jogando bila (bola-de-gude no cearanês), soltando pipa e jogando pião, senhoras e pais de família carregando latas d’água na cabeça, festas populares, passistas de frevo e todas essas imagens que mexem com o nosso imaginário. Di Farias só não pintou o Padim Ciço, se pintou não sei, talvez seja coisa de pernambucano que vive na vida mansa, do jeito que pediu a Deus, nas ladeiras de Olinda fazendo exatamente o que mais ama na vida, no caso dele, pintar.


Na minha sala tem um quadro do Di Farias, assinado atrás (do quadro, claro), hoje já deve valer uma fortuna (escutem o barulhinho do caixa $$), é uma raridade. Pra mim e pra muitos que já viram, é o melhor! Mas, olha lá! só vendo quando tiver no valor do prêmio da Megasena, e mesmo assim vou pensar muito. :P"

Disponível em: clique aqui

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

O cotidiano em cores tropicais

Retrata em suas telas o cotidiano, o folclore Nordestino, os eventos, movimentos e situações que passam quase despercebidos pelos olhos das pessoas na correria do dia-a-dia, o pintor pernambucano Jorge Di Farias pode ser definido como um artista da cor do sol tropical. “Minha arte resulta da junção de várias tendências, tendo muito de cubismo, de expressionismo, e até de impressionismo, porém com uma forte influência do escorço,que evidencia a perspectiva oblíqua. Que então influenciou o mangá japonês, o cartoon e o grafite, o que pode ser observado na pintura. Di Farias trabalha com tinta acrílica sobre tela.Como ferramenta, usa pincel, espátula e até os dedos para obter efeitos bem ao seu estilo. Nas telas, a predominância do amarelo ocre, brilhante, “isso por conta da luminosidade característica do Nordeste,o clima tropical, o calor humano do nosso povo”, completa.
Leitor da Folha de Pernambuco, o artista presenteou o jornal com uma obra especialmente criada por ele para o evento dos dez anos. “Essa data é importante e merece registro. Inspirei-me no mapa de Pernambuco e nele apliquei várias matérias do jornal. E sobre a composição pintei o cotidiano, esse movimento urbano frenético do nosso Recife que tão bem é retratado pela Folha. Dentro do mapa, destaquei o dia 3 de Abril, enfatizando o número 10 no centro”, explicou.
Premiado internacionalmente, Di Farias estudou pintura no Recife e em Paris e detém números expressivos,pois nos seus vinte anos de arte,tem três mil e trezentas obras espalhadas em vinte e nove países,participou de noventa e quatro exposições e recebeu vinte prêmios entre os quais, a Master Medalha de Ouro do Salão de Arte de Londres. O ateliê está instalado na rua Bernardo Vieira de Melo, 151, no Sítio Histórico de Olinda.
DI FARIAS 
O destino artístico do recifense, Jorge Di Farias, foi traçado na infância, desde quando admirava embevecido o vai-e-vem dos carnavais de Olinda. No desejo de imortalizar paisagens, personagens, expressões folclóricas, atrelando o cotidiano do povo, já se vão mais de 15 anos em que o interesse pela arte regionalista o acompanha.
Tudo começou quando, aos seis anos foi morar em São Paulo. Começou a desenhar e os professores o incentivaram a fazer trabalhos artísticos, em cartolina, para a escola. Desde muito cedo demonstrou interesse pela arte e em 1988 começou a pintar. "Guardei meu primeiro trabalho, o segundo vendi para os Estados Unidos, e daí passei a respirar arte. Cursei História da Arte, estudei e analisei os trabalhos dos impressionistas e expressionistas, principalmente Monet e Van Gogh".
Di Farias é um Mago da Pintura. Fez Desenho na Escola de Belas Artes "Aluízio Magalhães" em Recife e estudou Pintura na galeria Meier le bian em Paris. Foi Professor do Senac, ministrou aula de teoria da cor, forma, harmonia e estética no Curso de Estilismo. 
Disponível em: Clique aqui

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Curriculum


Pintor, escultor, natural de Recife – PE. Iniciou seus primeiros estudos e experiências em 1988,realizou sua primeira exposição em 1992 e até então, tem participado e realizado várias exposições no Brasil e no Exterior dentre as quais destacam – se: 
* Exposição Individual (INFRAERO) Aeroporto de Guarulhos.


* Exposição Individual Colorida Galeria de arte em Lisboa -Portugal.                   


* Exposição Individual Hotel Neptune na Normandia -França.                            


* Exposição Individual Maison de la musique em Thoiry -França.                        


* Exposição Individual InterHyve em Genebra -Suiça.                                       


* Mostra Artística na Convenção das Nações Unidas, contra a desertificação.


* Mostra Cultura Brasileira em Lisboa – Portugal;


* Feira Internacional de Arte em Montpellier – França;


* Mostra Cultural Olinda em Bruxelas – Bélgica;


* Mostra Artística em Dusseldorf – Alemanha;


* Salão Internacional de Arte em Londres – Inglaterra;

* Festival Internacional Sfogato em Cracóvia -Polonia.                                    

Em suas obras Di Farias retrata o cotidiano e os costumes do povo nordestino, bem como: o folclore e o regionalismo, e mesmo quando sem fronteiras trata de um tema universal sua obra permanece peculiar e fiel em suas características, mantendo e firmando sua identidade. Sobre seu estilo diz ser a mistura de várias tendências onde encontramos: impressionismo,   expressionismo e cubismo, com muita influência do escorço, evidenciando na figura a perspectiva obliqua que por sua vez influenciou o cartoom,mangá e o grafite. E desta mistura bem como a nossa brasileiríssima miscigenação que surge sua identidade artística,para a qual se é necessário um “ismo” chamamos de Maneirismo ou Intencionismo, tendo a  intenção de fazer diferente o que tantas vezes fora feito. “Busco a junção entre a impressão de uma realidade com a expressão do sentimento momentâneo e retratando com a alma, procuro encontrar na minha arte o equilíbrio da trilogia, sendo ação, expressão e sabedoria.” Di Farias
◘ Curso de desenho artístico no (GAM) de Arte e oficio – Recife;
◘ Curso de extensão em pintura Meyer Le Bhian – Paris;
◘ Ministrou aulas de harmonia e estética, teoria da cor e da forma no SENAC;
◘ Ministrou aulas de desenho e pintura na FACEPE através do SEBRAE é socio fundador do Sindicato dos Artistas plasticos profissionais de Pernambuco e registrado no New circle international art de Miami.Em prol do social, tem ministrado aulas através de projetos em comunidades carentes.
Em sua trajetória artística realizou e participou até então de 95 exposições e recebeu vinte e um premios.Com mais de três mil e quinhentas obras já registradas,tem trabalhos em trinta e dois países dos cinco continentes em instituições e coleções particulares.